Lágrimas

Oficina G3

Lembra da inocência, que aflorava, a alma pura
Indo livre como se deve, sem dever e nem correr

Mas um dia a vida açoitou
Bateu forte e suas marcas deixou
Sem piedade ou dó, o coração se fechou

O mestre apareceu, o vaso quebrou
Coração marcado, doído e ferido
Com graça o mestre moldou, a alma devolveu
A quem não era mais um menino

Então lágrimas se confundem ao riso

Passa tempo
É o espelho que denuncia a efêmera vida
Pesa o fardo, se foi a inocência
Curvou-se sem suportar

Com o rosto e a alma no chão, uma prece suplicou
Ouve o som dos passos, um toque, o alento chegou

O mestre apareceu, o vaso quebrou
Coração marcado, doído e ferido
Com graça o mestre moldou, a alma devolveu
A quem não era mais um menino

Então lágrimas se confundem ao riso

Mas um dia a luz, invadirá minhas sombras
Transitória vida dou adeus, bem-vinda eternidade
Mas um dia a luz, invadirá minhas sombras
Transitória vida dou adeus, bem-vinda eternidade
Editar playlist
Apagar playlist
tem certeza que deseja deletar esta playlist?simnão

    feedback