Velha Gaita

Osvaldir e Carlos Magrão

Velha gaita de oito baixos duas fieiras de botão
Minha teta de índio guacho apojo da solidão
Num canto em que me remacho no mundo que é meu galpão
Contigo converso baixo segredos do coração

Minha alma cresce e destapa tudo que herdei dos meus pais
Raiz da cepa farrapa em voz dos meus ancestrais
O pampa bruto carrega no bojo das ressonâncias
Vendo assoprar nas macegas e arvoredo das estâncias

Resmungos de algum bochincho rangir de couros e bastos
Saudade até de um relicho rumor de chuva nos pastos
Cochichas que sou o taita que entendes dos teus segredos
Pois minha alma é uma gaita que está na ponta dos dedos
Editar playlist
Apagar playlist
tem certeza que deseja deletar esta playlist?simnão

    feedback